Toledo

Educação faz apuração de suposta agressão em CMEI

O desabafo foi nas redes sociais, mas a desconfiança já acontecia há cerca de 15 dias quando Alexandrino de Souza da Cruz passou a observar alguns comportamentos diferentes na filha de um ano e oito meses de idade. No período da manhã a criança ficava no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Professora Cleusi Aparecida Berger, mas era à noite que ela apresentava dificuldades para dormir, chorava sem motivos, não queria mamar e ficava irritada quando os pais a pegavam no colo. Segundo o pai, ao mesmo tempo que a criança ficava nervosa, ela se acalmava sozinha e conseguia dormir.

Além destes comportamentos no período noturno, ele conta que a filha voltava do CMEI com assaduras, mesmo com a pomada que a família enviava para a instituição. Mas foi no último dia 9 que ele presenciou algo que nunca imaginou que aconteceria. “Fui buscar minha filha às 11h20, dez minutos antes do término das aulas, e avistei ela pela porta da sala. Ela me viu e se levantou, foi quando a professora que estava na sala deitou ela novamente no colchão, mas fez isso socando a minha filha no colchão”.

Alexandrino conta que a criança se levantou novamente para ir ao seu encontro quando a professora viu que ele se aproximava da sala. “A professora ficou sem graça quando me viu. Perguntei como minha filha estava, peguei ela e passei na sala da direção do CMEI avisando que ela não voltaria mais à escola”, comenta.

 

RELATO

O pai retornou ao CMEI no período da tarde e relatou o caso para a direção e ainda perguntou para outros professores da instituição se tinham notado algum comportamento estranho na sala da sua filha. Alexandrino ainda relatou o caso ao Conselho Tutelar.

Segundo ele, a criança não volta mais para o CMEI. “Só volta para alguma instituição de educação quando tiver idade para iniciar os estudos, por enquanto vai ficar aos cuidados da avós em casa”, complementa. Em relação à denúncia nas redes sociais, ele conta que fez para alertar outros pais para não passarem pela mesma situação que ele e sua família enfrentam. Já quanto ao caso, ele espera respostas das autoridades.

 

APURAÇÃO

A secretária da Educação Edna Heloisa Schaeffer Amaral comenta que a pasta já está averiguando o caso. Na tarde da última segunda-feira (13) a secretaria também emitiu uma nota de esclarecimento acerca da denúncia de suposta conduta agressiva de professora em CMEI.

“Nós tivemos a oportunidade de ouvir os pais na quinta-feira (9), e na tarde de segunda-feira (13) ouvimos a professora e a diretora. A partir dos relatos de cada uma das partes, a Secretaria da Educação está tomando as medidas que são necessárias para que possamos então levar todos os fatos e todos os envolvidos nesse processo. Vamos verificar o que de fato ouve para tomar as providências que são necessárias”, pontua Edna.

Na nota, a Secretaria da Educação afirma que “confia plenamente no trabalho desenvolvido por todos os servidores que compõem os quadros da Secretaria da Educação, o qual é formado por profissionais plenamente capacitados, todos com formação em nível superior, que ingressaram em sua carreira através de Concurso Público, submetidos portanto, à avaliações intelectuais, físicas e psicológicas, que os habilitam a estarem em efetivo exercício nas unidades educacionais”.

O texto ainda enfatiza que a “Secretaria Municipal da Educação reitera sua total convicção na qualidade dos serviços prestados diariamente por seus servidores em todas as suas Instituições Educacionais, e reforça seu compromisso em garantir que os atendimentos prestados sejam realizados de forma profissional e responsável, primando pelo respeito a todas as crianças e seus familiares, o que somente se torna possível, graças a qualificação das pessoas que compõem os quadros de cada Instituição Escolar”.

A equipe do JORNAL DO OESTE também entrou em contato com o Ministério Público que se manifestou através da 5ª Promotoria de Justiça de Toledo esclarecendo que “até o presente momento não há entrada pelos canais oficiais ou por outros meios de informação - redes sociais - qualquer denúncia com o teor indicado”.