Editorial
O consórcio do lixo

Em tempos onde o impacto ambiental sobre ecossistemas tão frágeis é cada vez mais intenso e onde dezenas de espécies podem simplesmente desaparecer do planeta por causa da ação humana, a notícia sobre a criação de um Consórcio Intermunicipal de Gestão e Tratamento de Resíduos é algo a ser comemorado, afinal, demonstra a preocupação dos atuais gestores não apenas em resolver um problema imediato – como por sinal é bastante comum quando se trata de administração pública no Brasil. Existe ainda a preocupação em deixar um legado para as próximas gerações no sentido de estabelecer uma política pública séria e responsável nessa questão.

O objetivo do Consórcio é realizar uma gestão intermunicipal e buscar soluções ou alternativas para o tratamento dos resíduos. A ideia não é enterrar o lixo, mas sim, realizar o seu tratamento e devolvê-lo na forma de novos produtos ou então podendo ser reaproveitado de alguma forma que não impacte ainda mais no meio ambiente.

Toledo será a sede deste Consórcio, mostrando o quanto o município está avançado em termos ambientais, um trabalho iniciado há muito tempo e que, embora tenha sofrido alguns contratempos, ainda assim apresenta resultados satisfatórios no tratamento de seu lixo. Há ainda muito a se avançar e os atuais gestores estão conscientes disso, porém, é perceptível a preocupação em apresentar projetos bem pensados e que efetivamente atendam a sociedade naquilo onde hoje se falha e, dessa forma, inicie-se um processo de transformação da cultura do lixo.

A expectativa é que entre 25 a 30 municípios participem do Consórcio, que deverá começar a funcionar ainda este ano, mas para isso será necessário o engajamento total de todos os agentes públicos. Questões como a do lixo não podem ser tratadas sob a mesma ótica simplista com a qual normalmente se enxerga a gestão pública no país tropical, até porque os efeitos – em geral nocivos – são percebidos de maneira muito rápida. Basta observar o que está acontecendo mundo afora e nas consequências de décadas de exploração desenfreada e da geração de lixo desmedida. O momento requer uma nova maneira de pensar a questão do lixo e Toledo uma vez mais sai na frente com a condução na formação deste Consórcio pioneiro.